Diálogos, Vol. 18, No 2 (2014)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Carlos Henrique de Escobar por ele mesmo: tragicidade e teoria do discurso - doi: 10.4025/dialogos.v18i2.903

João Kogawa

Resumo


O professor Carlos Henrique de Escobar é um filósofo, historiador, teatrólogo e semiólogo que se encontra, hoje, obscurecido no panorama intelectual brasileiro. Ele viveu o período dos "anos de chumbo" no Brasil e, nesta entrevista, conta um pouco de sua trajetória pessoal e intelectual durante os anos 1960/70, no Brasil. Este autor, que sofreu com os abusos do poder ditatorial - sofrendo, inclusive, tortura, como nos conta aqui - é um dos precursores, no Brasil, do campo denominado hoje como análise do discurso de linha francesa. Com efeito, ele foi um dos principais articuladores - e também um dos primeiros a fazê-lo no Brasil - de uma teoria do discurso que envolve o tripé marxismo, linguística e psicanálise, tal como o propunham, na França, Michel Pêcheux e seu grupo. É também um dos principais leitores de Althusser em um momento em que ler esse autor era mal visto tanto pela esquerda militante, quanto pela direita brasileira. Atualmente, o professor Escobar vive em Aveiro - Portugal - e nos cedeu, muito gentilmente, esta entrevista por e-mail.

Texto Completo: PDF

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.

ISSN impresso 1415-9945 e ISSN online 2177-2940