Skip to content

UEM - Universidade Estadual de Maringá


Índice de Sites
Você está em: Home
test Mobile Reviews Gopro Rugged Cams beylikdüzü evden eve nakliyat beykoz evden eve nakliyat beşiktaş evden eve nakliyat bayrampaşa evden eve nakliyat
UEM discute proposta de Reforma em assembléia Imprimir E-mail
29 de fevereiro de 2008

A proposta de Reforma Administrativa e Acadêmica da UEM será discutida numa Assembléia Universitária, a ser realizada na próxima quinta-feira (6), a partir das 8h30, no Restaurante Universitário. O documento elaborado com a contribuição da comunidade acadêmica foi entregue ao reitor Décio Sperandio, semana passada.

Segundo o assessor de Planejamento, Paulo Moreira Rosa, que entregou o documento ao reitor, as sugestões da proposta levaram em conta quatro princípios norteadores: a descentralização, a desburocratização, a democratização e a modernização.

Na Assembléia Universitária, terão voz os servidores técnico-administrativos e docentes e os alunos regularmente matriculados em cursos de graduação e pós-graduação. Nesse dia, a comunidade universitária poderá apreciar as propostas apresentadas e inserir novas sugestões. Para facilitar e fundamentar o debate, as propostas sistematizadas pela comissão podem ser acessadas pelo site www.asp.uem.br/reforma.

As principais alterações no Estatuto e no Regimento da UEM citadas pela comissão são a criação de um conselho interdepartamental por centro (CI), a composição e estrutura dos conselhos superiores e a flexibilização de ingresso dos alunos. Com o CI, muitas questões não precisariam ser encaminhadas para os conselhos superiores. As decisões seriam mais ágeis e mais próximas do público-alvo. O conselho também é uma forma de desburocratizar, descentralizar e fortalecer as decisões financeiras, administrativas e acadêmicas dos departamentos. Os conselhos superiores poderiam se dedicar mais às questões estratégicas, políticas e institucionais.

Segundo Rosa e os professores Osvaldo Alves dos Santos e Carlos Sica, integrantes da comissão, a intenção foi dar mais autonomia aos departamentos, fortalecer a democracia, tornar mais ágil o processo decisório e mais flexível o ingresso dos alunos e possibilitar a escolha do melhor regime dos cursos (seriado ou por créditos). As propostas debatidas e sugeridas na Assembléia Universitária serão encaminhadas, até 19 de março, para o Conselho Universitário, que terá, até 20 de maio, para deliberar sobre o assunto.